Skip to main content

A pandemia tem causado ansiedade para muitos, principalmente aos donos de pequenos e médios negócios.

Os empreendedores da alimentação tem recorrido ao delivery de comida para conseguir alguma renda.

Entretanto, isso tem sido o suficiente? 

Será o delivery de comida o futuro da área da alimentação ou apenas uma solução temporária?

A Ansiedade e a Tomada de Decisão

A ansiedade nada mais é do que o medo pelo futuro.

“O que vai acontecer depois do Corona? Meu negócio vai sobreviver até lá? Como estará a saúde da minha família?”

Esses são apenas alguns dos questionamentos que tem atormentado os empreendedores nessa época.

Para muitos, o futuro parece sombrio ou, até mesmo, inexistente.

Porém, a verdade é que, para a maioria de nós, haverá vida depois do Corona.

Pensar nela pode trazer alívio ou medo, porém ela é tão inevitável quanto os efeitos da pandemia.

Esses efeitos são o que vão tornar nossa vida tão diferente quando tudo isso acabar.

De qualquer maneira, devemos pensar bem antes de tomar qualquer decisão nesse momento.

É nesse momento que a ansiedade pode atrapalhar

Quando estamos ansiosos, somos propensos a tomar decisões sem pensar.

Ela impede que façamos uma avaliação correta da situação, e sempre vai agravar qualquer aspecto ruim do que foi analisado.

Muitos donos de restaurante tem demitido, tomado empréstimos, reduzido jornadas… Enfim, tomado decisões que podem não ser as melhores.

No momento, esses podem ser alívios bem vindos, mas no futuro, o preço pode ser bem alto.

Decisões tomadas no impulso, movidas pela ansiedade e medo, tendem a ser as piores.

Portanto, pensando nos empreendedores da alimentação que estão passando por problemas hoje, trazemos uma reflexão sobre o futuro do delivery de comida. 

Ele pode ser a solução mesmo depois da quarentena?

Planeje o Futuro com a Mente Limpa: Não Morra na Praia

De nada adianta passar pelo período da quarentena a trancos e barrancos, apenas para fechar as portas pouco tempo depois.

“Nadar e nadar e morrer na praia”: O ditado já diz, não podemos usar todas nossas forças agora para não tê-las depois.

A chave é não se esquecer de que ainda falta algum tempo para chegarmos a um porto seguro de verdade.

Os efeitos econômicos do Corona durarão meses, talvez anos, mesmo depois que tudo isso passe.

Muitos ainda serão levados pelos abalos secundários, e por muitos motivos.

Nenhum desses casos é a melhor forma de lidar com uma crise.

Continue lendo para entender bem a situação e saber lidar com ela da melhor maneira possível.

Quando Isso Vai Acabar?

Com a dinamicidade dos acontecimentos, é quase impossível determinar por quanto tempo isso irá durar.

Porém, é possível afirmar que, quando a imunidade de grupo acontecer, poderemos começar a pensar em uma vida “normal”. 

A imunidade em grupo só será possível após o desenvolvimento de uma vacina ou tratamento eficaz. Mesmo depois, os efeitos da crise ainda permanecerão.

Imunidade de grupo é quando o número de pessoas imunizadas é muito maior do que o número daquelas que o vírus consegue contaminar.

Isso garante com que a doença não se espalhe e nem tenha efeitos tão letais.

Essa imunidade pode acontecer por algumas maneiras, entre elas o contágio, que faz com que o corpo prepare anticorpos, e a vacinação.

A vacinação, obviamente, é a mais positiva e desejável no momento.

Entretanto, entre testes sucessivos e períodos de espera no aguardo dos efeitos, fazer uma vacina por levar meses. 

Até lá, teremos que conviver com a crise, aprender com ela e enfrentá-la frente a frente com a leve esperança de que tudo passe mais rápido.

Afinal, não podemos esquecer, cedo ou tarde, a crise vai passar.

Confira o que fazer para minimizar os efeitos da crise no seu negócio.

O Pânico Pode Esperar: Como Diminuir os Efeitos da Crise?

1. Cuide da Sua Saúde Mental

Você é um ser humano, facilmente influenciado pelas emoções.

Como dissemos anteriormente, a ansiedade faz com que você tome decisões inconsequentes. 

Cuide da sua saúde, antes de sequer pensar em trabalhar.

2. Organize Suas Finanças

Se você ainda não tem ideia de quanto rende o seu estabelecimento e de quanto ele precisa para sobreviver, agora é a hora de descobrir.

Faça uma análise das entradas e saídas com cuidado e descubra:

  • Qual sua renda mensal média;
  • Quanto precisa para funcionar todo mês.

Com a “mente limpa”, organizar as contas pode fazer aparecer algumas despesas supérfluas que podem ajudar a reduzir gastos.

3. Separe o Que Mantém Seu Restaurante em Pé 

“O básico do básico”. Isso é o que você vai reunir agora. 

Para uma situação como essa que estamos vivendo, de quanto você precisaria para não fechar as portas definitivamente?

4. Repense Entrar em Dívidas

Quando o valor básico definido, você pode considerar um empréstimo para fugir da falência.

Entretanto, será que pegar empréstimos seja a melhor opção para você?

Caso a resposta seja sim, será que o banco está oferecendo a melhor taxa de juros? Compare e pense com cuidado.

5. Liste Alternativas

Pense no que você pode fazer para aumentar as vendas ou recomeçar a vender nessa época.

O delivery, sobre o qual falaremos, é uma opção, mas existem outras.

Faça uma lista com alternativas que sejam possíveis para você e tente aplicá-las.

Há Luz no Fim do Túnel?

Sim, ainda há esperança.

Porém, aqueles restaurantes que ainda estiverem de pé terão muito mais desafios à frente.

Os hábitos terão mudado. 

As pessoas ainda estarão muito traumatizadas e custarão a se sentir seguras em um salão de restaurante.

Segundo pesquisa, mais de 70% das pessoas suspenderam serviços como psicólogos, manicures e diaristas. 

Isso é o reflexo de clientes com medo de usar a sua renda e de entrar em contato com estranhos.

Ao mesmo tempo, pelo mesmo motivo, aumentou em 39% o consumo de delivery.

Os empreendedores da alimentação não terão outra alternativa, senão adaptar-se aos novos tempos.

Ainda é possível encontrar soluções para superar a crise, o delivery de comida é uma delas.

O Delivery de Comida como Fonte de Renda no Mundo Pós-Corona

Pesquisas indicam que 48% dos pedidos de um restaurante costumam ser para comer fora do local, em casa ou no trabalho.

Com o trauma da pandemia, a tendência é que esse número aumente bastante.

É inevitável, as pessoas pedirão mais delivery.

Essa será uma maneira de se defender de um medo constante de contágio, mesmo após as descobertas da vacina e da cura.

Mas e as Taxas?

Não são todos os restaurantes que podem pagar as taxas que as plataformas cobram. 

Geralmente, as saídas são:

  • Cobrar a mais, repassando o valor das taxas aos clientes indiretamente;
  • Diminuir o lucro para repassar esse valor às plataformas.

Entretanto, não é todo restaurante que pode recorrer a essas alternativas.

Por outro lado, é muito importante manter-se visível à base de clientes e manter portas abertas.

Quanto mais formas de vender você oferece, mais fácil será para o cliente te encontrar.

Por isso, além de trabalhar com as plataformas mais famosas, muitos têm adotado a estratégia de oferecer delivery online em um app próprio.

Vendendo Apesar da Crise

Parece clichê, mas é verdade: a crise é o momento de buscar soluções.

Afinal, crises nada mais são do que o acúmulo de inúmeros problemas.

O segredo é separar aqueles que estão fora do seu controle daqueles sobre os quais você pode fazer algo.

Você pode fazer algo para continuar vendendo na crise.

O delivery de comida é a solução para restaurantes continuarem funcionando mesmo depois da crise, com a mudança de hábitos.

Como já mencionamos, o delivery é o futuro para os empreendimentos da alimentação.

O distanciamento físico está implantado na mente das pessoas e seus hábitos começarão a refletir isso.

Você já adaptou o seu negócio para esses novos hábitos?

Você está pronto para o mundo depois da pandemia?

Sobrevivendo à Crise e a Tudo Que Vem com Ela com um Delivery de Comida de Sucesso

Se você faz parte de uma plataforma de delivery e acredita que isso é o suficiente, pode estar enganado.

Existem muitas vantagens em estar em uma plataforma desse tipo, entre elas a visibilidade que esses apps proporcionam.

Por outro lado, limitar-se a uma única maneira de vender é limitar sua renda.

Em tempos de crise, é improvável que um negócio de renda limitada por terceiros sobreviva.

Por isso, você precisa também ampliar suas possibilidades e procurar outras maneiras de vender.

Vendendo sem limites.

Ter um cardápio online, só seu, é uma dessas maneiras.

O Consumer, integrado ao MenuDino, te oferece um site exclusivo. 

Com poucos cliques você:

  • Publica seu site;
  • Recebe pedidos online e de graça, direto no WhatsApp.

Aprenda a publicar seu site grátis em um tutorial em vídeo aqui.

Não deixe a crise te levar. Continue recebendo pedidos. Tenha um site exclusivo ainda hoje.

Letícia Gama

Letícia Gama

Formada em Letras pela UNESP. Atualmente Analista de Marketing na Consumer, sistema para restaurantes com melhor custo benefício. Certificada pelo Google e em constante estudo em busca das melhores práticas do Marketing Digital.

2 Comments

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.